Nota CEII SP[10/01/2019]

Niemand knetet uns wieder aus Erde und Lehm,
niemand bespricht unsern Staub.
Niemand.
Gelobt seist du, Niemand.
Dir zulieb wollen
wir blühn.
Dir
entgegen.
Ein Nichts
waren wir, sind wir, werden
wir bleiben, blühend:
die Nichts-, die
Niemandsrose.
Mit
dem Griffel seelenhell,
dem Staubfaden himmelswüst,
der Krone rot
vom Purpurwort, das wir sangen
über, o über
dem Dorn.
(Pslam, Paul Celan)

Nota CEII SP [10/01/2019]

Gostaria de colocar em discussão uma mensagem que recebemos no Facebook. Na verdade foi mais um questionamento do que propriamente uma mensagem, nela a pessoa pergunta para o CEII, quantas mulheres e negras participam do coletivo. Acho a pergunta digna mas também ao mesmo tempo me peguei pensando será que isso foi uma crítica? E ao pensar isso, gostaria agora de propor uma discussão sobre a questão dos grupos de “minoria” que se unem com um propósito comum e fazem manifestações e encontros e etc…E porque estes grupos acabam sendo tão segregados e militando por esse ou aquele interesse? Porque não podemos de alguma forma unir todos eles e torná-los um só?

Nota CEII SP [10/01/2019]

Há um aspecto negligenciado pelas organizações de esquerda que buscam formular e agir na direção da transformação da sociedade – o dinheiro.

O dinheiro, um dos principais instrumentos do capital para impor relações de propriedade, é também algo fundamental para existência atualmente.

Mas a convicção de não defender relações de propriedade, por vezes se transforma no em menosprezo em relação ao dinheiro. Entretanto, o menosprezo, não faz com que não deixemos de precisar de dinheiro, apenas transfere aos indivíduos a tarefa de conquistá-lo, levando a alçar a luta para transformarmos a sociedade ao status de santificação ou de voluntariado.

Se envolver em um projeto coletivo para transformar a sociedade não pode se transformar em relações de propriedade, mas tampouco em relações de servidão. Por isso o debate da das condições materiais e do financiamento precisa estar presente superando relações de propriedade e também de servidão.

Como avançar neste debate sem se render a financiadores atrelados a poderem que pretendemos negar?

Nota CEII SP [10/01/2019]

_ O PT estava transformando a América Latina no que era a URSS e tudo começou com Fernando Henrique Cardoso. Ele era comunista na década de 60, mas eu achei que ele tivesse revisto isso, até que eu gostava dele depois do plano real, mas eu percebi as reais intenções dele.
_ Mas ao contrário da Venezuela que estatizou as empresas, o FHC privatizou, não foi?
_ Sim, mas veja bem, ele precisava disfarçar as reais intenções do comunismo. Assim como o Lula que deixou os bancos ganharem muito dinheiro, porque não dá pra chegar e implantar o comunismo logo de cara. As pessoas falam que ganhamos muito dinheiro na era Lula, mas isso aconteceu porque o mundo estava lucrando muito, nós só fomos com a corrente, mas se tivéssemos um capitalismo no poder teríamos lucrado muito mais. Os outros países da América Latina ganharam mais que nós, como o Chile, por exemplo. Se você der uma olhada na cartilha do PT está muito claro como se implanta o comunismo, primeiro acaba com a família, depois torna tudo uma bagunça, tira o dinheiro do povo e deixa ele sem escolhas, daí implanta uma ditadura.
_ Onde eu encontro essa cartilha? No site do PT?
_ Olha, isso eu não sei dizer, porque eu vi no Facebook.

Nota CEII SP [10/01/2019]

Anti-esquerdismo de esquerda (01)

Parece haver certa recusa da esquerda de levar a dialética materialista às últimas consequências, isto é, ao ponto de colocar sob escrutínio intelectual os dogmas do pensamento escorado em ideais revolucionários clássicos. Reconhecem a modificação nos modos de produção, sua financeirização e globalização; reconhecem as modificações tecnológicas produtivas, de vigilância, de comunicação e assim por diante. Mas, de forma anti-dialética, recusam inserir em seus cálculos de ação política que a modificação nos modos de produção implica, necessariamente, em uma transformação da sociedade, da política e da subjetividade – como inferimos de Marx e Engels em “A ideologia alemã”. Assim, segue a esquerda tentando pensar a sociedade dissociada dos modos de produção capitalista ou, no limite, dando uma de leito de Procusto: deita a sociedade sobre o leito e o que sobra, corta-lhe fora. Em seguida, mostra orgulhosa como o leito é do tamanho perfeito.

reuniao ceii sp 28/02

Inicio da leitura do livro – “no entanto , talvez devêssemos inverter a lógica de marx “, até a pg 77 do pdf. Em thomas frank”

Discussão  sobre a nota técnica, que atingirá a reforma psiquiátrica, e o pq da sua gravidade e ao que responde num contexto político e econômico.

Filme “idiossincracia”

reuniao ceii-sp 14/02

O desentendimento ranciére (a partilha do sensível)   https://drive.google.com/drive/search?q=ranciere

A noite do proletariado. Ranciére.

O mestre ignorante. Ranciere.

Imanências da verdade.  Badiou

menos que nada. Zizek  https://drive.google.com/drive/search?q=menos%20que%20nada

leitura começa na pg 27 e termina na pg 52 do livro ‘o ano em que sonhamos perigosamente.’