Nota CEII SP 24/05/2018

Penso que a nota é um mecanismo de poder também compartilhar projetos com o CEII e pensar possíveis interfaces. Estou bem envolvido com a preparação do programa do PSOL ao governo estadual – a pré campanha da Professora Lisete. Isso inclusive tem dificultado meu acompanhamento do próprio CEII. Mas pensei concretamente que gostaria muito de ouvir as opiniões e as críticas deste coletivo sobre os resultados (ainda provisórios) deste trabalho de construção do programa que pretende ser ao mesmo tempo radical e viável e está sendo construído por muitas mãos, mas não quer ser uma colcha de retalhos fragmentados. Fica a proposta para pensarmos isto conjuntamente.

REFERENCIAS CEII SP – 05.07

.Identitarismo: e como este acaba por reduzir as minorias a aspectos técnicos, porcentagens e cotas mínimas nos espaços, sem qualquer critica ou reduzindo-a a um aspecto estético ou numérico. https://lavrapalavra.com/2016/08/15/a-esquerda-num-poco-sem-fundo/

. Psicanálise e seu lugar no mundo em seus diferentes momentos históricos. os erros e insuficiências cada vez mais claras da ciência e de seus fármacos, são necessariamente abertura de espaço(s) e oportunidades à psicanálise?  Ou a psicanálise não necessita de lugar, ou mesmo necessita de um não-lugar ou a manutenção deste?

.Nova medicina e a psicofarmacologia indo além do tratamento de doenças ou saúde, mas adentrando o terreno do melhoramento, aumento de desempenho e assim por diante.

.Discussão sobre representatividade e o que fazer qnd nem todos se sentem contemplados ou identificados com o coletivo.

 

 

 

 

 

.

.

 

REFERENCIAS CEII SP 21-06

Início da leitura do ‘o ano que sonhamos perigosamente’.

. (Zizek) Dialética entre Liberdade x determinação.  Emancipação x estrutura; a partir do sujeito e sua relação c a cadeia significante (lacan), no qual a cadeia apesar de dada de antemão, pode ser re-significada, e, contraditoriamente, abrir possibilidades a partir da estrutura e seus limites.

.Quadro semiótico de Greimas.

https://www.google.com.br/search?q=quadro+semi%C3%B3tico+de+greimas&tbm=isch&source=iu&ictx=1&fir=1cVPoTy7ywls1M%253A%252CpWo_lYKq7E31GM%252C_&usg=__5mDJkG0cO8DaUrnIEIzJu4aAnz8%3D&sa=X&ved=0ahUKEwj-6YfcxpXcAhXB1lMKHViGDYkQ9QEIOTAC#imgrc=1cVPoTy7ywls1M:

.Quadrado da não contradição. Formulado por aristóteles e ‘desenhado’ pela filosofia escolástica.

https://pt.wikipedia.org/wiki/Quadrado_das_oposi%C3%A7%C3%B5es

‘diagnóstico é tb seu próprio sintoma’, jamison.

“O modo como foram lidos os eventos – a leitura deste – é mais sintomática que o próprio evento (…) o que significa junho de 2013? Todos querem ver junho como um sintoma, “olha! existe vida por debaixo da linguagem, das coisas q as pessoas falam.” Não, o sintoma está no modo como interpretamos junho de 2013, não existe sintoma fora da interpretação.” (Camarada Daniel, 2018).

. o tema ‘ Sujeito e infinito’ em Badiou. http://www.academia.edu/20733793/Subject_of_Philosophy_Subject_of_Psychoanalysis

https://lavrapalavra.com/2017/11/20/ser-evento-sujeito-o-sistema-de-alain-badiou/

 

 

 

 

 

NOTA #11 [12/06/2018] (RJ I)

Pareceu bastante interessante o edital da casa do povo sobre o período de residência de coletivos. A ideia de ocupar um lugar com atividades coletivas parece mais do que um espaço de experimentação, mas de verificação da prática coletiva. Pelo histórico dos coletivos que já estiveram por lá, pode se dizer que suas ações são tais que possibilitam a prática coletiva se reverter em algum saldo positivo para o entorno do bairro do bom retiro.

O CEII, é um coletivo que vem se engajando em tarefas que sejam capaz de não descolar a vida do coletivo da vida do militante. Vejo hoje dois tipos de atividades que produzem serviço pra comunidade, a Oficina acadêmica, buscando acolher o sofrimento que envolve o processo educacional, e a produção de conteúdo educacional por meio das atividades do EAD. Me parece então que as atividades que poderiam ser desenvolvidas na casa do povo correspondem a este escopo educacional. Pelo que sei, o projeto de São Paulo para a oficina acadêmica está em caráter de protótipo. Quem sabe se CEII RJ e SP posam formar uma coalisão para que ambos construam a oficina enquanto prática durante a residência e utilizamos assim a prática para terminar de desenvolver o projeto em São Paulo.

Em fim são ideias.

NOTA #5 [19/06/2018] (RJ I)

Ouvindo o áudio da última reunião, achei boa a proposta de cobrança da Lily, realmente se este curso sair do papel será um boa iniciativa no sentido de bolar uma maneira inteligente de reverter esse ônus aí em bônus. E melhorar a imagem do nosso grupo lá com o GIC.

Ainda não consegui entender legal a ideia de captação de recurso pra campanha da Tatiana Roque.

NOTA #4 [19/06/2018] (RJ I)

O “Caveirão Voador”, comentado na reunião, foi central num episódio (meio bizarro, meio engraçado) que vivi ano passado. Numa escola estadual situada na Mangueira, aguardando meu horário para entrar em sala de aula, fui surpreendido por uma operação da Polícia Militar. A surpresa se deveu menos à incursão policial nem pelo seu grau de violência, ambos comuns naquela altura, mas pelo diálogo que presenciei entre alunos e um colega, que acho ser um professor de história.

A contenda se devia ao sentido da ação da PM no morro. A divisão era especialmente exercitada por uma aluna com o professor. Enquanto ele tecia críticas à presença de um helicóptero sobrevoando casa com agentes armados, indicando desrespeito, abusos e riscos cometidos pelo Estado contra a população da favela, a aluna divergia. Para ela, ao contrário do que achava o professor, não havia nada disso. À medida que ele a ironizava sobre sua crença sobre “apenas bandidos serem alvos de um tiro do helicóptero da polícia”, ela reafirmava para ele sua convicção em razão do que ela própria vivia.

Foi menos que cinco minutos, mas foi uma das coisas mais esquisitas que já vi.

À luz do material trabalho pela célula no momento, o que vocês acham?