REFERENCIAS CEII-SP 31/01/2019

A ultima reunião é bem descrita pelo post feito no facebook sobre a mesma, que segue:

Na última reunião do CEII-SP (31/01) fizemos uma discussão sobre as atividades do núcleo, e queremos compartilhar algumas idéias aqui. Pensamos em apresentar as deliberações para que todos tomem conhecimento, opinem e contribuam. Daí, na próxima reunião (prevista para 14/02), os membros do núcleo SP presentes retomam e decidem.

  1. Reuniões:

Ratificamos a proposta de reuniões ordinárias quinzenais do CEII, intercaladas com as reuniões mensais dos Subconjuntos “Oficina Acadêmica SP” (Oficina SP) e de “Estudos de Psicanálise” (Est Psic.). Este é o calendário de reuniões do núcleo SP e dos Subconjuntos para o primeiro semestre de 2019 que tiramos:

Fev.: 07 – Oficina SP; 14 – CEII ; 21 – Est. Psic; 28 – CEII
Mar.: 07 – Semana de Carnaval (NÃO haveria reunião); 14 – Oficina SP; 21 – CEII; 28 – Est Psic.
Abr.: 04 – CEII; 11 – Oficina SP; 18 – CEII; 25 – Est Psic.
Mai.: 02 – CEII; 09 – Oficina SP; 16 – CEII; 23 – Est Psic.; 30 – CEII
Jun.: 06 – Oficina SP; 13 – CEII; 20 – Feriado Corpus Christi (NÃO haveria reunião); 27 – Est Psic.
Jul.: 04 – CEII; 11 – Oficina SP; 18 – CEII; 25 – Est Psic.

  1. Parceria com a Associação Paulista de Saúde Pública (APSP):

A proposta é realizarmos um curso mais simples (em comparação ao projeto 2018) e focando na crítica ao Campo da Saúde Mental Coletiva, em diálogo com os autores de referência do CEII (Lacan, Žižek, Badiou e Agamben). Sinalizamos o curso para os sábados de maio (06, 13, 20 e 27). Entre os temas já propostos estão: (i) medicalização e ideologia; (ii) releitura crítica do Campo; (iii) sujeito da psicanálise na ética da atenção psicossocial e; (iv) experiências de clínicas políticas.

  1. Subconjuntos:

3.1. Oficina Acadêmica SP (reunião nesta semana!!)

3.2. Estudos de Psicanálise (1ª reunião 21/02): a proposta é um espaço para estudo e discussão de psicanálise de forma ampla. Intencionalmente, não queremos definir demais o objeto e objetivos do subconjunto. Mas a ideia é começar com a leitura e discussão do livro “Lacan Elucidado” de Miller.

 

REFERENCIAS CEII SP 10/01/19

retomamos algumas propostas feitas no fim do ano passado, discutirmos e decidirmos o quanto antes:

  • as reuniões ao formato normal, sem serem divididas em reuniões de leitura e reuniões para assuntos mais de organização ou deliberativos.
  • propostas das reuniões passarem a ser quinzenais.
  • proposta de criação de dois sub-conjuntos: sobre o oficina academica e outro sobre estudos de psicanálise.  daí, tb a diminuição das reuniões comuns.
  • proposta de mantermos o curso c a apsp, com alguma alteração no, tamanho ou mesmo no conteúdo, mas mantendo o foco em saúde mental. e, além do curso, oferecermos aulas soltas sobre assuntos mais especificos.
  • e seguimos c a mesma leitura zizek, o ano em que sonhamos perigosamente.

 

REFERENCIAS CEII SP 29.11.18

. Inicio da leitura “o ano em que sonhamos perigosamente” pg. Nisso reside um dos impasses da china..  pg 40 do pdf.  paramos em ‘cada todo privilegia em segredo determinada classe”.

. mais-salário; proletarização da pequena burguesia assalariada.

. mudança do ouro para o dólar: substituição (de nixon) do lastro no real que o capital havia até então.

.  ‘anti-valor’ (Harvey): a ação de transferência de capital e mercadorias de outros países pelos eua de modo a resolver seu déficit, mesmo este (eua) não tendo lastro algum, apenas sua própria moeda, esta sim vendida aos demais países. E os lucros retornam via wall-street – o financiamento do déficit americano pelo restante do mundo.

. virtualização da dívida; keynesianismo. Crise de 2008.

. a guerra como uma maneira de “justificar” o império dos eua, já q este já não o é economicamente.

Citações:

. sobre a perseguição do governo chinês ao estudantes marxistas https://brasil.elpais.com/brasil/2018/11/16/internacional/1542395115_330148.html

. a loucura da razão econômica, David Harvey.

. O lulismo é um bonapartismo?. Armando boito jr.

. balanço de uma experiência histórica.  André singer e carlos árabe

 

REFERENCIAS REUNIÃO CEII SP 22.11.18

– Fizemos breve discussão sobre a reformulação da célula do rio e também fizemos a leitura das “invariantes CEII” – material posto em discussão e votação durante bom tempo, discorrendo sobre aspectos comuns e, portanto, invariáveis a todas as células e pontos que ficariam a critério total de cada célula. (Obs: as notas continuam com ‘força’.) E a partir da discussão e leitura propomos uma leve reformulação na célula sp: haveriam dois tipos de reunião que se intercalariam; uma sobre aspectos burocraticos, deliberativos e  projetos, e outra de leitura.

– ainda sobre a leitura das invariantes, restaram algumas questões, dentre elas, a questão de que aparentemente cada célula deveria, necessariamente engajar-se em atividades com qualquer outra organização.

– E houve a sugestão da criação de um sub-grupo especial ao O. Acadêmica.

– houve também um breve comentário sobre uma reunião do coletivo 1° de maio.

– sobre o curso: recebemos a solicitação de nova data pela apsp, e resolvemos que fica mesmo para logo após o carnaval (março).

 

REFERENCIAS REUNIAO CEII-SP 25/10

. Breve comentário sobre o encontro promovido pela uniafro no teatro oficina, no qual tiveram 4 falas, dentre elas leci brandão, erica malunguinho, douglas belchior e mais .. e dentre varias questões houve o estímulo  para virar votos ao haddad, e houve a proposição de que o fascismo seria mais sensível a população negra, como também os séculos de escravidão não teriam sido menos fascistas que os ‘fascismos’ posteriores.

. Comentário sobre a fala de mano brown no qual gerou polêmica, pois: de um lado seria uma crítica altamente plausível, no entanto inoportuna, já que há havia uma semana pras eleições; e de outro, para o pt há anos que ‘não é hora para criticar’, logo se nunca é hora, toda hora é hora. No entanto, vale a questão entre estratégia e tática, na qual esta fala poderia ter sido pouco tática, como algumas colocações do zizek, ou mesmo de alguns ceiianos.

. leitura do texto. Começando em p18, 1º cap. livro “como vimos, há consequencia…” e retomando em o “…procedimento de avaliação qualifica”.

. alguns pontos levantados: comentário sobre Negri e hardt, em  que este (como costume nos eua) reuniria todos os autores franceses – Foucault, deleuze, lacan – todos sob o termo “french theory”, por mais q neste caso fizesse sentido, já que nesse caso foucault e deleuze e guatarri convergem nesse ponto ao ver o capitalismo como produção também de subjetividades. 2: houve a hipótese levantada de que haveria no texto a sugestão de que as subjetividades e as relações tb serviriam como produto a ser consumido. 3. proposição da idéia de ‘produção e consumo das relações sociais’ fora do marco biopolítico. 4  zizek critica–os em sua ideia de que através do simbólico  e elaborações afetivas se chegaria ao comum.  5. Um capitalismo “sem burguesia’’- ex-capitalistas reabsorvidos como gerentes ou assalariados com um ‘mais-salário’ e ações da empresa. Sendo o mais salário estendido a todos os ‘especialistas’, havendo também não só mais salário, como menos trabalho. 5. china = capitalismo administrativo (?).

– o. acadêmica:

. comentário sobre uma moça da pós q nos procurou p debatermos sofrimento na universidade. E indicou q havia certo conflito entre os velhos e os novos dicentes,  no qual os velhos tao mais na pegada coaching, terapia do sono etc e os novos , na voz de uma moça que localiza as questões de sofrimento como relacionado à organização. E decidimos por convida-la a uma reunião, pois ela já havia esboçado interesses e questões da pos graduação, q seriam  similares ao projeto organizando a vida.

. discussão sobre possíveis medidas preventistas em relação a possível criminalização dos movimentos ditos de esquerda.

.- .Carmem galano: política de lo real.

.Milner, o salario do ideal.

 

.

REFERENCIAS REUNIAO CEII SP 11.10

. Fomos convidados a participar da reunião emergencial promovida pelo safatle. Mas foi mto em cima da hora; e teria sido, primordialmente, ir as ruas converter votos. Discussão sobre essa modalidade de trabalho de base – o contato corpo a corpo nas comunidades, e no caso, em específico, o convencimento.

. Decidimos passar a leitura para o início da reunião, pela leitura ser mais de interesse comum, mesmo dos membros que participam à distância, ao passo q a discussão dos projetos talvez seja de interesse mais dos que participam mais presencialmente. E por, no final, talvez não tenhamos mais tanta atenção ou disposição a leitura.

. A idéia do fascismo não como a reação da direita à ameaça da esquerda – a proximidade e o medo desta pegar o poder – mas o inverso: ele resulta da falência, a derrota, esmurecimento a total inércia da esquerda frente a crises ou a problemas urgentes e crescentes em determinada época, como nas épocas pós crise, como a q vivemos. E o fascista, então, aparece, como oportunista, recriando esse adversário morto, para deste salvar a sociedade, sendo assim um salvador…logo, isto seria resultado necessário do reformismo, em nosso caso, do pt. Logo:

.Como agir para além disso, do estado…? J. bernardo fala em ‘auto-organização’, organização intra-classe, pelos e para os próprios trabalhadores – livre do estado, e sua burocratização – em organizações de bairro, ações eclesiais de base, etc..  mas como o trabalhador poderia se organizar, já que:

.Temos novas características hj: passagem do fordismo para o toyotismo; passagem do capital industrial para o financeiro;  e, com menos emprego, o trabalho não seria mais algo q nos faça reconhecermo-nos, e tb o sujeito neoliberal . e em vista dessa realidade, como agir a partir daí … ?

. convite a moça da pós graduação q nos solicitou apoio para as demandas dos pós graduandos, em especial à demandas de “organização”, daí decidimos por convidá-la a uma reunião e daí ela explicar melhor.

. sobre o oficina: já tendemos 2 pacientes sendo atendidos; logo, podemose devemos dar o passo seguinte: o de criação e organização dos pontos do projeto sobre discussão dos casos, supervisões etc … abrindo perspectivas, inclusive, a um novo modelo possível de escola de psicanálise.

– início da discussão sobre o fascismo nascente e seus possíveis desdobramentos e possíveis ameaças a vida comum. E a nossos semelhantes mais diretos.

Labirintos do fascismo, joão bernardo. https://colectivolibertarioevora.wordpress.com/2015/05/29/pdf-nova-edicao-de-labirintos-do-fascismo-na-encruzilhada-da-ordem-e-da-revolta-de-joao-bernardo/

A rebeldia do trabalho. Ricardo Antunes.https://pt.scribd.com/document/260377462/A-Rebeldia-do-Trabalho-Ricardo-Antunes

fala da Esther solano, https://www.youtube.com/watch?v=JrnpiscANN0

https://soundcloud.com/ideiaeideologia/ceii-sp-11102018

 

 

 

REFERENCIAS CEII-SP 27/09

. Curso APSP: ideias: 1- fazermos primeiro o curso aki para depois fazermos em ribeirão; 2- em ribeirão, fazermos ele todo, todos os módulos, em uma ida só (quinta-sexta-sábado). Mas ficou p ser avaliado no fim do ano a data, q fica assim para o ano q vem; mas ambos, a edição em sp e a de ribeirão, continuam de pé.

. Resumo do que aconteceu na roda de conversa, parecido com o q já houve na ultima reunião, com alguns acréscimos, como a dificuldade demonstrada por alguns alunos em lidar com indivíduos e questões identitário-diagnósticas, ou melhor, diagnóstico-identitárias. Tendo haver com a mudança contemporânea do diagnóstico de um estigma para uma identidade, dificultando o laço, uma genericidade por entre esses sujeitos.

. Treta tales – ortellado no face: Discussão entre as corriqueiras articulações e justaposições indevidas entre política e psicanálise.

Althusser. Um texto (q não identifiquei) sobre os 3 discursos.

Christian Dunker. Mal estar, sofrimento e sintoma. http://lelivros.love/book/baixar-livro-mal-estar-sofrimento-e-sintoma-christian-ingo-lenz-dunker-em-pdf-epub-mobi-ou-ler-online/

REFERENCIAS CEII-SP 20/09/2018

.Discutimos datas de remarcação do curso, ficando entre a possibilidade de um curso de férias ou após o carnaval; podendo também marcarmos em ribeirão preto. Uma opção não excluiria a outra, e não fechamos qq data. Em decidindo por ribeirão ou pelo curso de férias, algumas adaptações deveriam ser feitas como: cada módulo ser feito dentro de um dia (manhã e tarde) reavaliação do preço de inscrição etc…

. comentamos sobre como foi a roda de conversa promovida pelo CA sobre sofrimento na universidade: compareceram por volta de 7 alunos, predominantemente integrantes do ca; e, bem como pretendíamos, a reunião não recaiu em um muro das lamentações ou a partilha de queixas como em um grupo terapêutico, mas na discussão de problemas identificados pelo alunos referente a universidade ou a questões coletivas. Nela apareceram desde questões com a metodologia dos professores, a falta de espaços de convivencia entre os alunos como há noutros campi, a fragmentação da grade curricular que desfavorece a criação de grupos entre os alunos, a diferenciação entre alunos da graduação e da pós, e como no caso especifico da fsp, a graduação é um pouco preterida; a discussão sobre a militancia politica na universidade e como e porque pode ser extenuante.. etc.

. discussão sobre notas.

. leitura do texto do zizek (do fim da citação de marx no 1º cap, até o inicio da segunda página após a citação de marx. Em: “Assim, o mercado mundial.. “

REFERENCIAS 30/08 CEII-SP

– Discussão sobre a roda de conversa. Discutimos que poderíamos falar uma breve explicação do que é o ceii e o oficina, e deixarmos a discussão em aberto, apenas talvez atentando pra coletivização dos assuntos e demandas q eventualmente venham como individuais.

– Discutimos sobre as notas. Pois houve um enorme acúmulo, e muitas notas com uma produção teórica considerável, também em tamanho e numero de páginas, o que dificultaria sua síntese e comentário; o que levou (mais uma vez) à questão da função das notas, e o que fazer c elas…

REFERÊNCIAS REUNIAO CEII-SP 30/08

– Algumas das obras citadas:

. BADIOU, A. Sujeito e Infinito. https://cdn.fbsbx.com/v/t59.2708-21/13186924_10156839937410551_844741840_n.pdf/Badiou-Sujeito-e-infinito.pdf?_nc_cat=0&oh=e09790f3bc90434de34e0cde1a67fd21&oe=5B91C2A7&dl=1

. BADIOU, A.; CASSIN, B. Não há relação sexual: duas lições sobre o aturdito de Lacan. Rio de Janeiro: Zahar. 2013. 96p.

. FRASIER, N. Como o feminismo se tornou subalterno ao capitalismo – e como reivindicá-lo.     https://lavrapalavra.com/2016/04/06/como-o-feminismo-se-tornou-subalterno-ao-capitalismo-e-como-reivindica-lo/

. FREUD, S. A negativa. Em O ego e o id e outros trabalhos. vol xix imago standard ed.  http://notaterapia.com.br/2016/05/06/as-obras-completas-de-sigmund-freud-para-download-gratuito/

. LACLAU, E; MOUFFE, C. Hegemonia e Estratégia Socialista: por uma política democrática radical. https://extensaoufabcposmarxismo.files.wordpress.com/2016/04/hegemonia-e-estratc3a9gia-socialista-capc3adtulo-41.pdf

. ORWELL, G. Socialistas podem ser felizes? Em: O que é fascismo e outros ensaios. Cia. Das letras. https://criticanarede.com/felicidade.html

. DELEUZE. O anti-édipo.  http://conexoesclinicas.com.br/wp-content/uploads/2015/12/DELEUZE-Gilles-GUATTARI-F%C3%A9lix.-O-Anti-%C3%89dipo-vers%C3%A3o-Portugal1.pdf

– iniciamos as discussões sobre a roda de conversa, e já adiantamos alguns pontos e questões. Dentre as quais pontuarmos que não estaríamos lá, nesse momento como terapeutas ou donos do saber. No entanto, foi levantada a questão de se isto não soaria como uma negação no sentido freudiano, nos moldes do clássico ‘não é a minha mãe’, em que a negação, o ‘não’, traz consigo o conteúdo recalcado, ou seja, este é afirmado ao ser negado. Como se, então,  estivéssemos previamente nos pondo no lugares de mestres. Logo, melhor seria se disséssemos ao que pretendemos e não ao que ‘não’ pretendemos.

– sobre a leitura do texto. A questão: ‘Historicismo (r)evolucionário’: zizek critica a visão evolucionista ou historicista de marx, na qual a historia teria uma direção única e necessária, tais quais suas etapas pré-determinadas. Surgiu também o questionamento de se a própria ideia de revolução não seria tributaria dessa noção.

https://soundcloud.com/ideiaeideologia/ceii-sp-30082018