NOTA #1 [15/04/2019] (RJ I)

houve algum momento onde o mecanismo das notas foi 100% anônimo? o fato das notas serem parcialmente anônimas no presente momento foi uma escolha discutida ou é uma mera contingencia da tecnologia escolhida (“o envio por email”)?

não sei se entendi corretamente, mas parece que há duas facetas no funcionamento das notas. uma delas, corresponde meramente a se certificar de que houve o envio por parte do membro. no outro, há uma leitura compartilhada feita pelo mais-um das notas na reunião seguinte.

essas duas facetas precisam ser dependentes uma da outra?

se o conteúdo da nota não é um mecanismo regulador, pq tornar a associação entre autor-conteúdo público para alguns membros (ou para todos os membros interessados em conectar o autor à nota)?

se os autores não pudessem ser identificados, talvez isso ampliasse o escopo do conteúdo das notas e isso pudesse dar uma reaquecida na mornitude relatada?

me parece mais coerente com algumas falas presentes no ceii, em especial o desejo de reduzir o papel do autor e focar-se no que é dito.

se for só uma questão contingencial da tecnologia, com alguma dose de trabalho de programação (a qual eu não posso oferecer ajuda pois não ceii programar [mas posso ajudar no metacódigo e nos testes]), seria possível fazer um login no site do ceii onde ficasse registrado que membro fulana de tal enviou a nota, porém, o conteúdo da nota cairia num depósito que não faria identificação de quem veio.

pode ser que isso claro aumente a mornitude relatada. pois esse aspecto que tem um aspecto de vigilância “estão vendo que não escrevi nada” talvez faça com que enviem menos ainda. ao mesmo tempo, eu defenderia o anonimato como teste, mesmo que num mecanismo menos elaborado a principio. a não ser é claro que vcs já tenham testado isto, e aí desta forma vcs podem me relatar como a coisa se deu.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *