NOTA #1 [19/02/2015] (SP)

Penso que o Zizek encerra seu texto com uma crítica bastante relevante para o marxismo, que muitas vezes se utiliza de um conceito de “materialismo” relativamente simplista, relacionando diretamente a evolução das “forças matérias” com alguma espécie de necessidade histórica do Comunismo.

De grande auxílio para a análise deste ponto é o texto de Alenka Zupancic ‘When Surplus Enjoyment meets Surplus Value”. Neste texto, Zupancic analisa as diferentes estruturas do discurso tal como pensado por Lacan no seminário XVII ( O avesso da Psicanalise), para, na análise do discurso Universitário, chegar à seguinte conclusão:

 “A very significant implication of this shift is that, in order for capitalista exploitaition to function, the entropy or loss, the amount of work not accounted for, or simply not counted, has, precisely, to start to be counted (and “value”)”

 Ocorre na sociedade capitalista algo parecido com o “cálculo neurótico do gozo”, ou seja, aquilo que nos outros discursos aparece como um excesso contingente no capitalismo se torna o próprio cerne da atividade dos indivíduos e da sociedade.

 Zizek nos aponta que Marx não soube lidar com os paradoxos do mais-gozar e da mais valia, de algo que, como diz Lacan sobre o gozo, “não serve para nada”, mas é estruturalmente produzido pela linguagem. Não podemos nos livrar desse excesso, que, como diz Zizek, é constitutivo do desejo humano enquanto tal., e talvez seja esta a ingenuidade de alguns visões de esquerda (Badiou aponta algo parecido em sua análise histórica do norma, singular e excrecência em Ser e Evento)

 Não há linearidade histórica nos discursos, o discurso do capitalista é hoje o discurso hegemônico (como o histérico tem sido seu principal discurso “reativo”), de forma que não podemos esperar nenhum tipo de necessidade histórica de sua superação. Somente a prática de discursos que articulem suas impossibilidades (marxismo e psicanalise) poderão engendrar novas formas de vínculo social e de satisfações do desejo no âmbito coletivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *