NOTA #1 [20/06/2017] (RJ I)

Em certo momento da reunião momento citou-se o Licenceii, apontado-se a sugestão de substituí-lo por uma espécie de afastamento mais flexível.
Sem ter exatamente uma posição formada sobre isso, gostaria de sugerir, no bojo dessa discussão, uma outra figura: a de colaborador, parceiro, associado – ou algo do tipo.
Trataria-se do indivíduo que, sem participar de modo corrente e cotidiano, se propusesse a ter uma interlocução privilegiada e permanente com o CEII em produções, textos, eventos e atividades publicas/abertas, contribuindo, assim, para fomentar, de alguma forma, os debates e atividades mais gerais do grupo. Isso seria especialmente adequado, penso, para os integrantes que vivem fora da cidade de reunião do núcleo e, desse modo, tem dificuldades para o acompanhamento cotidiano das atividades e tarefas; mas que, ainda assim, querem seguir colaborando, na medida das possibilidades, com o CEII – de maneira mais aberta, e focada em projetos e atividades específicos, de interesse comum. Isso poderia servir, por exemplo, como forma de manter relação com os licenciados e/ou afastados.

Outro ponto que surgiu foi sobre o estatuto da relação com o PSOL. Estou em absoluto de acordo com a necessidade de um esclarecimento sistemático a respeito, já que, dentro e fora do CEII, essa segue aparecendo como uma questão ambígua e talvez pouco resolvida. Para mim, a vinculação com o partido parece muito mais nominal-formal do que prática. E isso não é exatamente apresentado como algo deliberado no projeto. Se o for, caberá evidenciar como e porquê.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *