NOTA #1 [24/05/2016] (RJ I)

Por mais que a gente tenha tentado diversificar, o CEII desde sua origem só conseguiu atrair membros com formação universitária. Mesmo os membros mais jovens, secundaristas, já tinham uma perspectiva de trajetória acadêmica. No entanto, o CEII sempre se esforçou de receber membros de outras estratos da população, mas nunca conseguimos de fato tê-los. Me pergunto se essa nossa dificuldade de ter membros de outros estratos sociais é uma mera dificuldade de propaganda ou é um indicativo de um modo de ser do Círculo que de fato é orientado para universitários. Nossos debates teóricos são universitários. Nossa linguagem é universitária. Com a dificuldade recente que tivemos com a célula de SP, me pergunto se não seria melhor assumirmos logo essa nossa imagem “meio-universitária” e trabalharmos aí uma espécie de contra-propaganda específica.

Mais: será que o CEII de fato pode ser popular? Ou será que devemos nos acostumar a sermos essa espécie de aristocracia comunista? E se assim for, isso muda nossa missão atual?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *