NOTA #1 [26/09/2019] (RJ I)

Viram essa matéria: “Com apenas uma canetada, Bolsonaro autorizou o acesso do governo a todas as suas informações.O decreto permite que na base de dados tenha informações de saúde, como o registro de doenças e cadastro de gestantes. Além de ter acesso a dados pessoais básicos, o governo pretende monitorar até a sua maneira de andar. Tudo atrelado ao seu CPF. Na prática, a canetada do presidente criou uma ferramenta de vigilância estatal imensa, que vai bem além de informações pessoais básicas como CPF, filiação, data de nascimento. Ela inclui também todas as informações laborais e biométricas. O governo deixou claro que pretende reunir “características biológicas e comportamentais mensuráveis” que “podem ser coletadas para reconhecimento automatizado” – palma das mãos, digitais, retina, íris, rosto, voz e maneira de andar. E não é só isso. No decreto 10.047, o governo detalha as bases de dados que serão replicadas no Cadastro Nacional de Informações Sociais, o CNIS, – são mais de 50. Elas também incluem registros de veículos, informações educacionais (dados do ProUni, Fies e Sisu), frequência escolar e até informações de saúde, como cadastro de gestantes e os sistemas de informação de câncer de colo do útero e de mama. Tudo atrelado ao seu CPF e a suas informações biométricas. “?

Link: https://theintercept.com/2019/10/15/governo-ferramenta-vigilancia/

Fiquei pensando naquela pauta  de tentar tornar os membros do CEII menos expostos para “fora”, acho que com toda essa maquinaria moderna de vigilância seria bem improvável a organização conseguir oferecer alguma proteção contra este tipo de vigilância estatal. O que vcs acham?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *