NOTA #10 [20/10/2015] (RJ I)

Vivemos hoje um ataque às liberdades individuais – de forma simbólica e horripilante e principalmente, com ameaças reais as das mulheres. Isso não é culpa do PT. É trabalho sujo de quem usa a retórica do temor a Deus para se enriquecer financeira e politicamente. Porém, quem deu as ferramentas para tal façanha, ai não me resta qualquer dúvida. Com a abertura para o pequeno clero da política nacional, o lulismo permitiu com que “donos” de células religiosas e partidárias pudessem ter poder consolidado e seus asseclas assumiram postos em diversos níveis. As igrejas e outras redes cresceram e os antes aliados, muitas vezes totalmente antagônicos em modos de vida, não precisam mais do apoio do governo. Partidos nanicos e políticos deixaram o apoio ao PT e passaram para o lado “sujo” do capitalismo, o PSDB.

A coisa só começou a feder em 2012 com a Comissão dos Direitos Humanos dada ao Feliciano em troca da Comissão de Justiça para tentar impactar no julgamento do mensalão. Nesse momento, o PT abriu brecha por ser mais individualista do que de um Governo Social, como sempre pregou – pensou em si e esqueceu do futuro do Brasil e do brasileiro. Ali, já tinha deixado o lobo entrar com sua pele de cordeiro e agora, não só o partido, mas a militância assiste atônita o monstro que o próprio PT deu a chave para sair do lodo.

Não é culpa do PT, mas que sua ideia como regente social definhou, isso sem dúvida. Não há o que negar sobre a construção de um país menos pobre. Mas é possível se questionar qual tipo de riqueza herdamos e a qual tipo de peso social o país enfrentará com um sistema político minado pela mídia e também pela própria cegueira de quem esteve/está no poder.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *