Nota #10 [21/01/2014] (RJ-I)

No dia 21/01, discutimos a diferença entre o ócio e o repouso. O tempo de repouso é um tempo em que não trabalhamos, mas que é pago pelo salário, para que possamos recuperar nossa força e continuar trabalhando depois. Dessa forma, o salário cobre todo o nosso tempo – o ócio, portanto, não é um tempo dado, é um tempo que terá que ser composto tanto do tempo de descanso quanto do tempo de trabalho, é um sub-conjunto composto de partes do trabalho e parte do repouso – um sub-conjunto organizado por uma regra que não é a do capital. Poderíamos construir, por essa perspectiva, uma teoria do trabalho militante através da categoria da fidelidade, desenvolvida por Badiou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *