NOTA #11 [16/05/2019] (RJ I)

Queria pensar um debate sobre o que é levado em consideração ao intercâmbio entre a experiência dos membros com a pauta geral do coletivo. Por exemplo, ao tratar de Badiou, o que ele escreve sobre a hipótese comunista tem a ver com maio de 68 e  a organização da classe trabalhadora através da greve. Desta forma, seria interessante se posicionar sobre os aspectos da greve geral de 2019, quais os seus fundamentos, a relação com os partidos , as centrais sindicais, os trabalhadores precarizados e o nosso interesse como também formadores de opinião dentro e fora do espaço acadêmico. Concordo com a ideia de pensar “por que não” um evento sobre o comunismo e a hipótese.  Badiou é um filósofo que está sempre em movimento e situando-nos sobre seus posicionamentos políticos, como os atentados de Paris,  a crítica à representatividade na  democracia …em dado momento ele fala sobre “totalitarismo parlamentar” para tratar da mídia e do monopólio da opinião pública. Em suma, eu gostaria de saber  se além do que tem sido dito nos encontros que é um debate importante para a formação, eu aprendo muito, mas se o que se concebe como experiência vai ser coletado como uma iniciativa de um  membro na reunião ou se pode falar em posicionamentos sobre algum fato político de conjuntura como inclusão da pauta coletiva.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *