NOTA #2 [01/04/2019] (RJ I)

2 – Uma formação militante
Eu acredito que ter um espaço de formação para a prática militante seria muito interessante para fazer com que participantes do grupo se impliquem de forma mais global com o coletivo. Temos discutido, especialmente a partir de algumas colocações do Gabriel, que boa parte da prática militante passa mais por uma “lógica do cuidado”, mais próxima ao “trabalho doméstico” do que de um “grupo-de-estudos-marxista-revolucionário” (o ponto não é que uma coisa exclua a outra, mas sim que normalmente se exclui de um grupo-de-estudos-revolucionário uma reflexão sobre este fazer cotidiano da militância). Gostaria de propor ao coletivo que penssássemos como instituir esta formação interna no CEII, se isso for de interesse para outras pessoas também.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *