NOTA #2 [10/01/2017] (RJ I)

O LADO FORMAL Duas coisas fundamentais me parecem merecer sempre ser sublinhadas para o Círculo enquanto organização que reflete sobre si seus debates e deliberações sobre organização: 1) a explicitação das regras que livremente decidimos fazer valer para nós mesmos, o lugar onde se dá ao pé da letra da autonomia do coletivo — essa “formalidade m” é essencial; 2) a aposta de que a igualdade se faz pela forma de organização, não necessariamente pelo conteúdo do que é tratado — mas que, por outro lado, esse lado formal, princípio de organização, precisa refletir sobre o conteúdo mesmo, como efetivação que não desmente o princípio formal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *