NOTA #2 [23/05/2019] (RJ I)

Sobre a greve geral

Queria saber como vocês avaliaram a greve geral.

Lá no meu trabalho a divisão foi bem clara: os bolsonaristas ou pró-governistas não embarcaram (fizeram, aliás, questão de ir trabalhar). Teve até gente se desfiliando do sindicato sob a justificativa de que o apoio do sindicato a essa greve era a gota d’água na trajetória de uma direção sindical que se mostrava “partidária” demais, envolvida com manifestações que nada tinham a ver com as pautas internas dos servidores. A opinião de muitos era a de que a greve se tratava de uma manifestação esquerdista de apoio ao Lula livre disfarçada de greve contra a reforma da previdência (ou, se não disfarçada, combinada com o Lula livre).

Já quem se posiciona contrário ao governo Bolsonaro ou se identifica com a esquerda apoiou a greve (o que não significava que embarcou nela – a adesão foi ínfima).

Queria saber também se a impressão de que a polarização política atual determinou antecipadamente quem era “passível” de aderir à greve deve ser restrita à minha categoria ou se esse foi o caso em outras categorias, ou até mesmo em nível nacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *