NOTA #2 [25/03/2019] (RJ I)

Um militante autoriza-se a si mesmo
Já estamos há algum tempo conversando sobre os problemas do CEII em relação ao “o outro suposto-fazer” e como evitar determinados mecanismos imaginários de suposição que alguém do grupo fará a atividade x. Como uma pessoa que entrou recentemente no grupo, eu acredito que este processo de autorizar-se militante é profundamente importante para evitar este mecanismo da suposição. Eu tenho a impressão que ao entrar no coletivo estou entrando em algo que tem uma história que eu ou desconheço completamente ou conheço parcialmente e este é um elemento importante para imaginar que há um outro que “faz mais parte” do grupo que eu e,logo, terá um maior domínio de algum atividade, etc. Pensar em um mecanismo interno ao grupo que possa ser uma instância em que o participante do coletivo passe a militante, pode ser interessante para quebrar esta fantasia do “Outro suposto-fazer”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *