Nota #3 [14/05/2013]

Na fala do R* sobre Gramsci, anotei que esse pensamento vem no lugar de certa forma leninista/stalinista de política que ele considera autoritária, “de cima para baixo”e que seria efetivamente mais revolucionário reconhecer a figura do intelectual orgânico, que brotaria das massas trabalhadoras. Reconheço o problema do qual ele parte, mas acho problemática essa solução. “Lula” veio das massas mas não pode ser considerado um agente da revolução. creio que tal problema da origem das forças de transformação está mal colocado. Não resta menos que é difícil, hoje, nomear o conjunto dos insatisfeitos que iniciarão o processo de transformação da sociedade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *