Nota #3 [14/09/2012]

No texto livremente traduzido para “Como começar do começo”, Slavoj Zizek afirma a necessidade de romper com o passado e avançar o projeto comunista a partir de sua hipótese inicial, não dos destroços deixados pelo fracassado projeto da União Soviética. Me parece que segundo o autor a empreitada comunista que levou à Revolução de Outubro e à construção do socialismo como realmente existiu na União Soviética teria evidentemente fracassado e, portanto, não deveria servir como base de uma nova empreitada, senão na elucidação dos fracassos do projeto comunista conforme observados em sua real implementação histórica.

 

Embora a ideia de renegar o projeto soviético de socialismo me pareça bastante razoável, é necessário perguntar ao filósofo: onde é o começo? Me parece que Zizek pretende assumir a posição de fundador do novo projeto comunista, mas teria ele a pretensão de dizer que começou do zero? Me parece impossível começar do começo. A história é contínua e o filósofo, o teorizador e o comunista revolucionário estão inseridos na história, recebendo influências incontornáveis de um contexto específico. Sendo assim, como começar do começo? Não seria o suposto começo apenas um esforço retórico do autor para se afirmar como marco zero de um novo projeto comunista? Acredito ser impossível romper com o passado, devemos erguer-nos sobre ele. “Os homens fazem a sua própria história, mas não a fazem como querem, não a fazem sob circunstâncias de sua escolha e sim sob aquelas com que se defrontam diretamente, legadas e transmitidas pelo passado.” (Karl Marx – 18 Brumário de Luis Bonaparte)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *