NOTA #3 [23/05/2017] (RJ I)

Pensando aqui uma ideia me ocorre no sentido da problematica do lugar de falar e vendo os comentarios dele no video o fim de um ciclo sobre esse tema e as proposições do que ele entende de como deve ser o horizont politico de esquerda, lugar de fala e comunismo não combinam. Porque? Para comunistas o mote deve ser lutar por constinuir poder naquilo que não nos é próprio, ou seja, naquilo que nos é impróprio que não nos coloca como detentor de certa particularidade mas que nos coloca como universais. Tentando dizer em outras palavras, naquilo que é comum a todos nós. “A politica não é lugar de falas, mas é produtora de falas sem lugar” Safatle. Essa ideia me parece muito interessante pra comecar a discutir os problemas do lugar de fala. E a constatação que Safatle chega, a partir dessa ideia, é de que o lugar de fala não é outra coisa senão a corporificação do individuo neoliberal. Esse neoliberal é o individuo das posses e dos predicados, aquele que Tacher reividicou na decada de 70 ao falar que “não existe sociedade apenas indivoduos isolados” nesse sentido, quando os grupos identitarios reividicam sua posições tendo como eixo  suas particularidades não são outra coisa que a perpetuação do neoliberalismo e em ultima instancia a perpetuação do Capitalismo como sistema que orgabiza a vida social. Nesse caso, faz se necessario a esquerda não adotar este tipo de pratica e, como disse Safatle, constituir poder no movimento daquilo que não nos é próprio, singular, particular, individual. Mas naquilo que é comuns nos espaços comuns, nos lugares comuns. Onde o grande mote deva ser o bem comun só assim a ação revolucionaria estara de fato sendo comunista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *