Nota #5 [08/10/2013]

A fidelidade como um “processo e não uma iluminação”, como apresentada em Badiou, tenciona com certa tendência liberal à esquerda [politização como resultado de informação]. Por outro lado, como essa “fidelidade” pode ser justificada do ponto de vista de uma política emancipatória – se emancipação, pelo que sabemos e é corrente, é aquilo que autonomiza o indivíduo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *