NOTA #5 [13/06/2019] (RJ I)

Digamos que existem, basicamente, duas formas de lidar com a indeterminação dentro de uma coletividade/organização/instituição:
1) A lida ao modo carioca: Aparentemente aceita a indeterminação, mas no fundo crê numa ordem/lei mística (“deixa a vida me levar”/ “deixa acontecer naturalmente”)
2) A lida germânica com a norma/lei: É necessário conter o máximo possível a indeterminação por meio da obediência às regras, como se estas transformassem a indeterminação em situações determinantes.
Tendo em vista essas formas de lidar com o coletivo (os outros, as leis e o todo), quais outras formas possíveis?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *