Nota #5 [21/01/2014]

O Programa do PSOL evidencia que estamos tratando de um Partido que não quer sujar as mãos. Existe sempre uma folga entre o Partido e as ações: o Partido quer sempre construir o espaço para que as ações sejam tomadas e nunca, de fato, tomar essas ações.

Estamos tratando de um Partido que precisa se afirmar socialista e, também, libertário. De um Partido pós-crise do comunismo e pós-crise do projeto socialista de Brasil. Portanto, percebemos o lugar onde pisamos: tudo é ainda instável.

Resta continuar fazendo a manutenção desse espaço – não mais construirmos um espaço dentro do Espaço (um espaço construído pelo Partido para agirmos), mas agirmos no e através do próprio Espaço que é o Partido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *