Nota #5 [23/09/2014] (RJ-I)

Achei muito importante o ponto levantado a respeito da concepção de militância de Badiou sobre a divisão do “corpo subjetivável” – essa ideia de que o corpo militante coletivo é dividido entre o trabalho de inscrever algo que não existe no mundo e a experiência de antecipar algo de novo no presente. Gostaria que explorássemos um pouco mais essa questão, que me parece já articulada na divisão entre comunistas e anarquistas – mas o que seria ali uma oposição é, para Badiou, uma divisão interna a um corpo coletivo só.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *