NOTA #6 [07/02/2017] (RJ I)

A esquerda brasileira vive um problema que me parece que é de nivel mundial.
Pensando por exemplo nos EUA  que conseguiram eleger Donal Trump como presidente e todas as questões que envolveram isso dentro da esquerda, esse fato pode evidenciar algumas questões na conjuntura brasileira e também no que esta por vir.
Zizek, em seu texto: Hilary, Trump e o mal menor incita algumas reflexões importantes e me parece que uma delas deve ser analisada com urgencia. Ainda, não me parece que esse seja a definição do problema mas, no mínimo, faz parte ou pode ser a expressão de algo maior. E esse problema que não sei bem o nome mas, me parece, que tem uma certa maneira de se expressar e passa por três temas centrais. Considero – os a seguir como: Ideologia, Consciencia e Ação politica.
Essa hipotese se baseia que a esquerda de uma forma geral tem a seguinte linha de pensamento: é preciso fazer revolução e a pratica se da em apoiar todas as questões que o capitalismo afeta tendo como estratégia evidenciar os problemas de cunho identitário e ético como algo que está na vanguarda ou que deve aparecer no “front” de qualquer atuação politica.
Pensando na hipotese acima junto com as ideias centrais que expressam o problema (Ideologia, Consciencia e Ação politica). Busco fazer uma reflexão de como elas se relacionam tendo cada uma sua particularidade e ao mesmo tempo sua articulação própria sob as reflexões de, em principio, dois autores que tem de certa maneira uma acumulo que varia do pouco até conteúdos mais profundos sobre essas ideias. Esses autores são: Marx e Freud.
Marx desenvolve o problema da ideologia e talvez uma frase boa que expressa a reflexão de Marx é a proferida por Zizek: “Eles não sabem o que fazem”. A ideologia, a grosso modo, é uma teoria que Marx aponta pra descrever como o capitalismo consegue se manter como sistema dominante e as pessoas não se rebelam contra ele. Em outras palavras, para Marx, as pessoas não se rebelam contra esse sistema porque não estão conscientes do que fazem e é preciso conscientiza-las do que se precisa fazer para que se possa acabar com a ideologia produzida pelo capital.
Freud, tem uma frase muito conhecida que é a seguinte: “Não somos senhores da nossa própria casa”.
Essa frase tem como pelo menos uma de suas bases que não somos conscientes das coisas que fazemos e que no minimo, em sua maioria, fazemos as coisas sem saber, ou seja, pode se dizer que as fazemos inconscientes.
Pensando nessa ideia acho que há problemas que pode ser importante de tratar. E coloco ele da seguinte maneira: Se Freud esta certo de que somos inconscientes na maioria das coisas que fazemos como combater a consciencia ideologica colocada por Marx? De que maneira isso se relaciona ao crescimento das ações por parte da esquerda de cunho identitario e etico e como os liberais se apropriam disso? Além disso, a esquerda em nível internacional me parece que age dessa maneira. Mas talvez não leve em consideração esse problema. Me parece que ai há um impasse importante de ser resolvido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *