Nota #6 [24/09/2013]

A ontologia matemática de Badiou serve para ocupar-se do tema do Sujeito. Sendo a matemática aquilo que é capaz de formalizar, sem prejuízos, o não-ser [O Vazio] ao mesmo tempo em que é capaz de extrair efeitos e conseqüências a partir de sua experiência puramente abstrata, teríamos uma espécie de modelo básico onde se poderia apostar ou modo de pensar a ideia de Sujeito. Penso que em relação a Política, a ontologia proposta procura dar conta de experiências que não poderiam ser pensadas à luz do “contexto histórico” dado que não poderiam ser reduzidas à mero resultado do existente – sobretudo porque, de certa forma, a Política [no sentido revolucionário-usual do termo] é aquilo que inicia exatamente o término de uma cadeia necessária de processos, rompendo com esta e inscrevendo, por sua vez, outro mundo/ realidade [até então impossível].

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *