NOTA #7 [12/08/2014] (RJ I)

Um espectro ronda o CEII, a forma-partido:

Talvez o tema que mais suscite efervescências dentro das rodas de conversas do Círculo de Estudos da Ideia e da Ideologia é a sua relação organizativa e quais são seus traços em relação a forma-partido, além de sua forma-sem-forma e suas forma-para-o-partido. É possível levar isso em consideração? Sim que talvez!
A forma-partido e o seu aparelho burocrático-funcional tem como a finalidade o agir-no-agora, é ótimo. Talvez o CEII tenha uma forma própria, uma forma-CEII que é um tanto disforme e que usa do seu estatuto para pulverizar a sua própria organização tendo em conta a própria fluidez estatutal de si. E qual o problema? Investigar situações e objetos (textos e notas) de trabalho é um dos caminhos seguidos pelo Círculo, sem um compromisso rígido e segmentado de atribuições que pressionam o órgão a produzir. Desse ponto de vista, a Ideia do CEII é diferenciada e, não-capitalista (modo de vida capitalista, burguês, moderno e etc…), já que, seguindo a famosa frase de Pierre Clastres: “Os povos selvagens tem um sistema de votação onde eles votam com os pés”.
O conteúdo transmitido por Badiou nos referencia muito bem acerca da coisa-CEII, ele dá pistas. É evento, é campo, é discurso, é sujeito, é igual, é diferente, é rígido, é gasoso, é fidelidade, é desapego, em suma, é a Não-identidade e a Contradição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *