Nota #8 [06/05/2014] (RJ-I)

No encontro do dia 6 de Maio, demos continuidade à leitura do texto ‘São Paulo e a Fundação do Universalismo’, finalmente completando o esquema dos quatro discursos apresentado por Badiou:

Do lado da lei com identidade, temos o discurso da sabedoria (grego) e o discurso profético (judaico). O primeiro funda a dominação sobre o conhecimento do lugar de cada um no esquema geral das coisas, o segundo funda a dominação sobre a interpretação da exceção, daquilo que está fora de lugar como sinal de uma ordem ainda mais profunda. Do lado da lei sem identidade, temos o discurso apostólico, que promove uma nova lei, disjunta da identificação – e portanto, da garantia externa à prática que a sustenta. Finalmente, do lado da falta de lei e da falta de identidade, temos o discurso místico – o “discurso do não discurso”, que se retira da lei identitária abdicando tanto da identidade quanto da consistência de uma prática e de um pensamento compartilháveis, em benefício de uma experiência singular.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *