NOTA #8 [14/03/2017] (RJ I)

Bom até aqui o que pudemos compreender é que Freud nos fornece uma explicação do mecanismo do Luto e da melancolia.

Em linhas gerais no Luto há uma retração do ego no sentido de executar a ordem do real de liberar a energia investida no objeto perdido que pode ser um ente querido por exemplo, isto é a pessoa que ocupa o lugar de objeto investido. É um trabalho que custa muito a energia e leva muito tempo. O espaço que o objeto ocupava no mundo para o ego se torna vazio decorre daí o fato de o luto não afetar a autoestima, mas sim a perda de interesse no mundo exterior e o interesse em tentar presentificar o objeto perdido.

No caso da melancolia o objeto perdido na maioria dos casos não tem uma forma ou um corpo físico. Não sabemos se isso tende a acometer mais o ego que tinha como objeto de investimento uma ideia, seja de nação, perfeição, Deus e etc… De modo que o ego fica perdido tentando encontrar o objeto que perdeu sem saber exatamente o que é resultando em uma perda abrupta de energia ocasionando um juízo de autopunição.

Portanto a diferença que podemos apontar por hora entre luto e melancolia é que ambos possuem mecanismos semelhantes com uma única diferença a priori: a diferença de objeto perdido e a forma como a perda desses objetos afetam a economia psíquica. No entanto não sei se ficou muito claro, mas gostaria de compreender com mais detalhes, como e por que a autoestima é afetada na melancolia?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *