Nota # 8 [15/04/2014] (RJ-I)

Na reunião de 15/04 a camarada D estava na condição de mais um conduzindo o encontro juntamente com todos do CEII. E o material de leitura era justamente nosso projeto. E o que parece ter causado muitas provocações foi justamente a leitura de um trecho do projeto dizendo que o CEII não tem pressa. A camarada D se indagou e também aos companheiros o porque do CEII não ter presa. A partir de então nos enveredamos sobre uma discussão que em minha visão sugeriu o problema dos limites da teoria e da prática. Outro problema surgido foi o questionamento que de certa forma me pareceu pertinente. O que difere o CEII de um grupo de estudo?

Creio que o que foi posto nesta reunião tenha a ver com o seguinte questionamento: O que nossas reuniões nas terças, e a gora nas sextas também, tem a contribuir para a transformação do mundo a partir do estudo de nossos filósofos patronos?

O CEII é um lugar para a formação teórica de militantes e o que o distingue de um grupo de estudos é justamente o fato de que o Círculo não tem sua atuação restrita a discussão de material bibliográfico: O balanço das manifestações(ocorrido na UFF, produzido pelo Círculo) foi exatamente uma prova de que o CEII não se fecha em suas discussões em sua sala. Dialogamos com muitos representantes de movimentos sociais, e o evento foi em sua maior parte dedicado exatamente a ouvir essas pessoas e não necessariamente os representantes do CEII e do MPM que estavam na mesa. Mas o que eu queria dizer nesta nota é que: a intervenção que o CEII produz no mundo se dá em grande parte a partir das pessoas envolvidas com o projeto do CEII. Existem integrantes do Círculo que se quer haviam se envolvido com movimentos sociais  e se quer haviam sido filiados a um partido. Aliás, nossa afiliação partidária já nos traz novamente ao sentido de que há sim uma correspondência entre teoria e prática.

O CEII não tem pressa em sua dinâmica de investigação e estudo em sala, estamos sempre munidos de muita paciência para elucidar ou compreender os principais questionamentos que envolvem a filosofia política presente nas obras dos pensadores e filósofos eleitos por nós como importantes para a compreensão do mundo para então transformá-lo em um lugar mais justo para todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *