NOTA #9 [29/08/2017] (RJ I)

A esquerda brasileira escolheu seu inimigo maior o conservadorismo personificado pelo Bolsonaro. Todas as barbaridades que ele diz de cunho racista, machista, homofobico e etc…são horriveis anti éticas e devem ser combatidas. A esquerda só pode ser universal na medida em que incluir essas lutas em sua agenda como disse o Safatle uma vez. No entanto, é importante também que isso pode levar a um risco e que ja vem desenrolando. No livro do Safatle, Circuito dos Afetos, ele discorre, e aqui falo a grosso modo, como o pensamento liberal tomou conta de todas as partes da vida social. Desde um empreededorismo individual até a maneira de como se apresentar para uma nova pessoa. Esse processo tem um elemento fundamental que é a forma dos sujeitos se colocarem. E essa forma não é de sujeitos mas sim de individuos. E qual seria a questão? a famosa frase de Thacher de que não existe sociedade mas apenas indivíduos isolados pode dar algum norte pra essa questão. O pensamento liberal, através do seu alastramento na sociedade, nos coloca que devemos ser indivíduos com nosso predicados. Quando alguem se apresenta e diz seu nome, o que faz, onde estudou e etc…esta perfazendo o ideal liberal. Porque? Porque essa é a forma do sujeito liberal. O sujeito liberal tem a forma de individuo. E esse indiividuo é aquele que tem suas predicações, suas posses e etc…E hoje a esquerda obedece exatamente esse processo. Ao lutar pelas questão de genero, sexuais, raciais e etc…esta fazendo exatamente o que manda o ideario liberal. Luta por negros, mulheres e LGBTs somente é justamente obedecer ao ideirio liberal na medida em que se reconhece os seus predicados. Maior expressão disso é o lugar de fala. O lugar de fala é a maneira mais liberal de fazer politica. A politica não é um lugar de fala, mas um espaço de falas sem lugar. Quando Marx fala que o ser humano é um ser generico isso significa que ele é generico no sentido de não ser um individuo com posses e predicados mas de ser um sujeito. Os sujeitos se sujeitam aos processos, eles são incorporados pelos sujeitos, perpassam pelos sujeitos, os sujeitos não tem a posse de ser negro, economista, cearense, brasileiro. Os sujeitos são em ultima instancia sujeitos politicos. E quando a luta se da por uma luta de uma parte alem de ser uma politica liberal não consegue alcancar o todo. Porque o todo não é a soma das partes, mas a soma das partes é maior que o todo.

Uma ideia sobre “NOTA #9 [29/08/2017] (RJ I)

  1. Cara gostei muito dessa nota, retrata que o liberalismo está nos nossos hábitos e nos simples objetivos e metas a ser cumpridas, como tentar um mestrado, uma especialização, um concurso para alcançar uma estabilidade, de uma certa forma estaremos ressaltando o indivíduo nossas conquistas, mas não contribuindo para o coletivo, para você somente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *