NOTA CEII SP [09/06/2017]

Segue um comentário pertinente ao último texto lido: a forma geral do valor, surge como obra comum do mundo das mercadorias.
Sua abstração consiste em reduzir os inumeráveis trabalhos contidos em uma mercadoria e equiparar ao trabalho efetivado em outra mercadoria aparecendo como forma geral de manifestação do trabalho humano. Nesse sentido, há uma constatação no mínimo instigante que Marx faz e que foi de certa maneira desprezada, qual seja: “na circulação do capital esse valor se revela subitamente uma substância que tem um desenvolvimento, um movimento próprio e da qual a mercadoria e o dinheiro são meras forma”.
O que o barbudo está nos indicando com isso? Como assim, o valor se revela uma substância que tem um movimento próprio? Eis ai a metafisica marxiana, da qual, economistas bufões tanto denegriram.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *