NOTA CEII SP #1 [02/03/2017]

Sobre a “tomada do poder”:

Acho q, seja o q isso signifique, não se deve descartá-la, muito menos a priori. Creio q na maioria das vezes, isso é entendido como a tomada da máquina estatal, ou dos cargos de proeminência da mesma. E nessa idéia, creio estar pressuposta a identificação do poder com esse maquinário estatal ou, muitas vezes com o executivo, o que a experiência petista, de certo, mais uma vez provou que não.

Por fim diria, que bem ou mal, algumas vezes a esquerda, ou alguma encarnação qualquer da mesma, já tomou, de fato, o poder; tendo em vista as poucas revoluções que creio terem verdadeiramente acontecido, como revolução russa, chinesa e cubana.  Então, de certa forma, ja tomou-se o poder; no entanto, parece-me q os problemas surgiram nas formas de  organização que vieram ou deixaram de vir. Assim, parece-me até consenso entre a esquerda, que esta carece de organização, porém sempre no sentido de organizar-se para unir forças e, mais uma vez, chegar ou tomar o poder; mas o que menos comumente é pensado é organização como uma nova forma de organizar-se econômica e políticamente q seja viável e ainda condizente com a idéia comunista. E talvez essa possa e deva surgir, sem que primeiro tenhamos q derrubar um poder, ou mesmo o capitalismo, mas sendo gerido independente ou paralelamente , e acabe, assim, por substituir o atual modo de produzir e organizar-se.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *