NOTA CEII SP [10/08/2017]

O ano de 1848 foi determinante para um novo passo do socialismo, a revolução industrial dava vida a nova classe que se espelhava pelo velho mundo. Os tambores da nova onda revolucionária preparavam-se para rugir quando a insurreição popular de 18 de março de 1871 estourou tornando-se um dos fatos mais notáveis do século XIX.

A tomada de Paris levada a cabo pela sua população de proletários, seus quarentas dias no poder, a tentativa de criar à primeira república socialista embasada nos princípios da Primeira Internacional, transformaram a “utopia” em realidade.

Em 30 de maio de 1871, Karl Marx levanta sua voz. Apenas dois dias depois do esmagamento da Comuna, o autor publica Guerra Civil na França, revendo inclusive suas posturas adotadas no Manifesto Comunista (1848) no que concerne a tomada do poder por etapas, isto é, a transição, e a centralização do Estado pelo proletariado.

“Ao alvorecer de 18 de março de 1871”, Diz Marx, “Paris foi despertada com o clamor: “Viva a Comuna!” Que é a Comuna, essa esfinge que tanto atormenta os espíritos burgueses?”

A radical democracia no interior da Comuna era até então algo inédito na história. Todos os cidadãos se preparavam para a defesa da cidade abolindo assim o exército. Todo cidadão encarnou em si o Estado, a estrutura estatal foi completamente tomada por fóruns de debate e deliberação. Pela primeira vez na história o proletariado não se limitava apenas a se apossar da máquina, mas transformá-la completamente criando com isso um Estado revolucionário.

A comuna foi de fato o ponto alto de todas as formas de organização socialista do século XIX. É ponto central no amadurecimento socialista que definirá os horizontes do século XX em todas as suas transformações. Sendo uma das principais influências para a Revolução Russa ocorrida quarenta e seis anos depois.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *