Referências 24.05

Final da leitura do texto ‘lulismo’. Nessa parte final, o autor pinta o que para ele seria o retrato da cena cultural da época, como um grande exemplo e reflexo  ou mesmo descrição do que seria o ‘espírito cultural’ da era lulista. “… o Brasil é hoje um dos centros do mundo multicêntrico da indústria cultural, e do capital, global“.

O autor usa como metáfora a oposição McCartney x Lou Reed. Na qual o primeiro representa o espirito pop da indústria cultural, uma cultura festiva, superficial, sem crítica, mercadológica, ‘… o ícone universal da integração da experiência pop’; o homem e o som que todos amam amar; remete ao clássico e fala à idéia de uma natureza humana universal etc; e o último, o roqueiro poeta precursor do punk rock e da cultura underground, que desde seu início, segue compondo, mas não cedendo as pressões do mercado ou do reconhecimento fácil e imediato da lógica da mercadoria, ou da sociedade de consumo ou do espetáculo.

Em alguma medida lula foi McCartney. Atraindo a si o carisma midiático pop, investindo-se do fetichismo da mercadoria, em correspondência com a ‘mercadoria universal do sentido’, aberto a positividades e nunca a negatividades.

– Silly Love Songs – Paul McCartney & Wings – 1976

https://www.youtube.com/watch?v=wh15LOppcWQ

– Metal Machine Music – lou reed

 https://www.youtube.com/watch?v=XIMSbKU2oZM

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *