NOTA #12 [10/06/2020] (RJ I)

Recordo de que há um tempo em uma reunião o mais-um atual sugeriu por alto uma categoria de membresia em que o membro poderia se manter no CEII sem ter de cumprir as obrigações que confirmam o estatuto de membro (isto é, as notas). Este membro seria uma espécie de companheiro de viagem, que poderia “acessar” o CEII sem participar dele, alguém que estaria no mesmo barco mas sem remar, se compreendi bem e se me lembro direito da sugestão.

Já há um tempo na célula do CEII RJ decidimos que a dívida de quatro notas apenas impossibilitaria a participação do membro na próxima reunião, não mais ensejando o cancelamento da própria reunião. Essa mudança nas regras deu conta de todo o corre-corre pelas notas que havia até então, com a possibilidade de cancelamento da reunião sempre à vista, semana após semana. Por outro lado, na prática, tal mudança efetivou, de certo modo, a sugestão do mais-um mencionada acima, criando uma espécie de nova forma de membresia. Os endividados no limite, que já não participavam das reuniões – e não raro me encontro dentre eles -, tiveram como “punição” aquilo que eles já faziam ou fariam de qualquer jeito, ser vetado de participar da reunião (considerando que haja a verificação da contagem de notas para a participação, o que eu não sei se é o caso).

Longe de querer sugerir uma mudança no que está dando certo, esta nota apenas faz notar que a sugestão do mais-um, embora eu ache que ninguém a tenha levado muito a sério, ao que parece, acabou sendo acatada pelo coletivo. Atualmente o que distingue um membro do CEII é apenas o desejo de estar no CEII, não mais a disciplina e a comprovação material (a nota de trabalho) deste desejo, que outrora constituíram as condições da membresia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *