Nota #2 (06/10/2016) PR

Qual é o motivo da esquerda se encontrar nesse modo de latência? De forma conceitual, podemos lembrar de Zizek em ” did somebody say totalitarianism?” afirmando que a esquerda se conformou em com as regras liberais do jogo político e aceitou fazer sua (o)posição. É claro que, não deixa de ser preocupante a entrada da senhorita Arendt no pensamento da esquerda. Então, pensar em um agir fora desse jogo pela busca da representatividade é árduo. Mas existe outra forma de pensar essa latência; uma forma que mescla essa cartada zizekiana e um pouco de história. Vamos pegar o exemplo da nossa pátria amada: qual é o motivo da esquerda brasileira estar em latência? Bem, vamos começar com o movimento de “re-democratização” que, nada mais foi do que um: “vamos fazer um acordo?” entre militares e liberais. Esse belo acasalamento deu a luz à “Constituição Cidadã”. Ora, nada mais belo do que a preocupação para com o “outro”. Essa Carta de Direitos é recheada de grandes garantias e de um ar de democracia que faria o capital tremer, “temer”. Porém, de um lado temos os burocratas (conhecidos pelo codinome jurista) que afirmam: “essas normas são programáticas”, ou seja, “quando se descobre a bela cortina que escondia [a democracia liberal] nota-se que nada tem ali, a não ser que nos coloquemos ali, para olhar e ser visto.”. E de outro lado temos, como Bauman lembrou, uma inversão da ótica da circulação do capital. Se antes ele circulava de uma forma menos dinâmica, hoje, com a globalização, é da forma mais fluída possível. Isso resulta no seguinte: os países interessados em manter o capital estrangeiro e o investimento alto tem de oferecer algo em troca. Aqui começa o jogo político, resumido na seguinte equação: ALIANÇA GOVERNO/CAPITAL + ABERTURA DO MERCADO + SUCATEAR O SERVIÇO PÚBLICO = REDUÇÃO DE DIREITOS [SOCIAIS, TRABALHISTAS, ETC]. Então, nem todo o esforço feito em moldes liberais pode nos salvar. “Você acredita que é suficiente lutar por mais direitos e representação? Não? Então, bem vindo ao deserto do Comunismo.”. Total sentido o que diz Zizek: “o capitalismo vai romper com a democracia.” E, para complementar nossos problemas, somos acusados de totalitários quando pensamos algo fora dos moldes liberais.