NOTA #6 [08/04/2020] (RJ I)

Dito tudo o que foi dito nas notas 1 e 2 sobre a composição artista-trabalhador, sugiro que voltemos ao texto “O fim da organização” para entendermos melhor este espaço que o CEII ocupa e 1- como a suspensão do objetivo emancipatório pode em si mesma ser uma emancipação; 2- como essa emancipação temporária não seria cooptada como justamente desmobilizando da “luta maior”, que pediria adiamento da gratificação para o momento de realização do comum.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *