NOTA #8 [10/11/2015] (RJ I)

A partir dos assassinatos de massa de 13/11/2015
Alain Badiou – sumário da palestra

Diante do ocorrido o sentimento de reação é algo inevitável, e mesmo incriticável; mas essa dominação pelos sentidos incorre em três riscos:

a – autoriza o estado a tomar medidas autoritárias. há um gozo do pessoal dirigente, de se por como chefe militar. é preciso guardar uma medida do afeto.

b- reforça as pulsões identitárias. é um traumatismo que remete a uma identidade. o que é ser francês? é preciso refrear a tendência nacionalista e ampliar o espaço público. o sentimento de identidade transforma a justiça em vingança, o que abre um ciclo de atrocidades.

Ao dizer que o crime não foi só contra o povo francês, mas contra a humanidade, Obama confunde a “humanidade” com o Ocidente democrático, o que redunda numa lógica dos civilizados contra os bárbaros.

c – terceiro perigo do abandono ao afeto seria a constituição do sujeito obscuro, deprimido e vingador, que se constrói através do trauma. a intenção da provocação fascista é exatamente suscitar tal sujeito.

Enfim, para evitar esses riscos, é necessário PENSAR o que aconteceu. O que significa aceitar que o ato foi inteligível. Pode-se tentar uma elucidação do que aconteceu como uma patologia mundial que requer tratamento. qual a sua lógica?

Isso vai requerer dois movimentos: o primeiro vai da situação de conjunto do mundo, ao crime de massa e à guerra declarada pelos estados; num movimento inverso, procuraremos mostrar o que fazer para que o sintoma desapareça.

Nosso percurso será portanto:

1 – Partir da estrutura do mundo contemporâneo (últimos 30 anos), tal como se apresenta (capitalismo mundializado);

2 – Abordar os efeitos maiores dessa estrutura sobre as populações em sua diversidade, entrelaçamento e subjetividades, o que conduz ao terceiro ponto;
3 – Há 3 subjetividades típicas, criadas nesse mundo;

4 – Tratar por fim das figuras contemporâneas do fascismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *