NOTA #8 [23/09/2020] (RJ)

E eu esbarrei com uma breve história autonomista. Na Itália divergentes do PCI que queriam assumir a centralidade do trabalho; as discussões voam para os EUA, onde ele se associa com vertentes heterodoxas do trotskyismo e acaba vagamente associado com a New Left em geral; na França, cresce com o grupo Socialismo ou Barbárie com Castoriadis, Morin etc.
Daí chego no fato curiosíssimo de ter esbarrado com uma entrevista recente do Morin para a Marie Claire, como as ideias voam…! Seguem trechos que me interessaram [com comentários]:

“Mas tem que haver uma organização. Não estou dizendo um partido, acho que essa fórmula é antiquada. Tem que haver uma reunião com um pensamento e uma idéia.” [acho que isso temos no CEII, voltando àquela discussão do Manifesto Comunista, em que os comunistas não têm partidos, interesses ou princípios particulares; temos uma organização e uma ideia, a da hipótese comunista]

[b] [/b]”A solidariedade deve ser recolocada no centro da agenda política.” [o que tbm já discutimos aqui antes, como a solidariedade faz parte dos meios sem fins que são a própria estrutura de manutenção do círculo, ou a solidariedade como meio para realizar ideias que acaba virando o próprio fim da organização: ficar no Ceii só para encontrar amigos e manter a promessa do churrasco futuro…]

“André Malraux, que era minha bíblia, costumava dizer: “A coragem é uma questão de organização”.” [tudo volta pra organização]
[Respondendo o que o mantém motivado aos 99 anos]”É o amor! São Paulo, nas cartas aos Coríntios, diz: “Sem amor não sou nada, mesmo que tivesse a fé para mover montanhas, sem amor não sou nada”.” [e o retorno do fantasma de São Paulo no ceii; ta aí um candidato a próximo texto para ser ressuscitado em reuniões]

[url=https://www.marieclaire.fr/edgar-morin-interview-crise-ecologie-action-citoyenne-coronavirus,1356300.asp]https://www.marieclaire.fr/edgar-morin-interview-crise-ecologie-action-citoyenne-coronavirus,1356300.asp[/url]
Uma entrevista sobre o autonomismo, por Harry Cleaver e Massimo de Angelis

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *