NOTA #9 [22/07/2020] (RJ)

”Não há democracia quando o escravo assalariado se senta ao lado do capitalista, o proletário agrícola ao lado do junker, numa igualdade falaciosa, para debater seus problemas vitais de forma parlamentar’ O que não implica rejeitar as liberdades burguesas, mas ‘incitar a classe operária a não se contentar com o invólucro, incitá-la a conquistar o poder político para preenchê-lo com um conteúdo social novo’. Ou seja, a verdadeira democracia(não à maneira liberal-democrática) exige o socialismo e viceversa. Socialismo e democracia determinam-se reciprocamente. Quando Rosa critica os bolcheviques por dissolverem a Assembleia Constituinte, não o faz em nome da defesa da democracia como valor universal mas por pensar que a democracia e a liberdade são necessárias para que haja vida em todos os organismos representativos dos trabalhadores, tanto o parlamento, quanto os sovietes. Liberdade e democracia são vitais para as massas poderem agir com autonomia, fazerem a suas próprias experiências e aprenderem com elas. Por isso diz numa frase lapidar: ‘os erros cometidos por um movimento operário verdadeiramente revolucionário são, do ponto de vista histórico, infinitamente mais fecundos e valiosos que a infalibilidade do melhor ‘comitê central”

[será q agora vai…?]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *