NOTA #9 [23/09/2020] (RJ)

Eu vi a live do colega Gabriel sobre o livro novo e fiquei pensando: será que não apareceu um conflito entre as três lógicas que eles apresentam (que talvez possam ser chamadas de institucional, comunitária e revolucionária no sentido estrito) aqui nas notas do CEII?
Eu penso na polêmica entre notas que pediam um retorno a noções mais revolucionárias e que levantavam a questão do candidato a vereador Wesley Teixeira pelo PSOL. Ele pode ou não receber financiamento de (assim-denominados) ‘grandes capitalistas’? E uma outra nota, ainda colocou o Wesley junto com Piketty com algumas citações. Daí minha questão, seria esse um conflito entre a lógica revolucionária tradicional (negação da lógica do Capital) e as lógicas institucional (quem sabe reformista) do Piketty e comunitária do candidato Wesley (que aproxima na citação da nota o quilombismo, o anarco-comunismo e a luta por fazer o Reino dos Céus na Terra)?
Como faz comunismo poli-lógico? É possível, desejável? Precisamos de um jargão comum ou de lutas comuns?
Mais uma chance de aplicar o experimentalismo ceiiano, quem sabe…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *